terça-feira, 8 de junho de 2010

Paciência

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára...
(Paciência - Lenine)

Quando se sabe ouvir
Não precisam muitas palavras
Muito tempo eu levei
Prá entender que nada sei
Que nada sei!... (Dias de Luta - Ira)


Esses dois trechos retratam bem o ser humano complexo que somos. Esse novo modo de vida exige que o tic tac do relógio duplique em tictictactac´s. Sem paciência e sem muito tempo para ouvir o que realmente importa. Tudo na nossa vida pede um pouco de calma, nem tudo que queremos acontece num estralar de dedos, é preciso muita estrada pra conseguir chegar ao destino tão esperado, mas queremos tudo na nossa hora, como diz a música do Ira "muito tempo eu levei prá entender que nada sei...", leva-se tempo para amadurecer a idéia de que quando se saber ouvir e se tem paciência as coisas chegam, devagar, contudo chegam... Não se tem calma no trânsito porque não se espera e nem se tem mais paciência de esperar o sinal abrir, fechar, e com essa falta acaba ocorrendo acidentes, não se tem calma na base familiar, estamos sempre andando e fazendo as coisas como se o dia tivesse 16 hrs, 24 hrs só existe na configuração dos aparelhos eletrônicos.
Tudo em nós exige dedicação e paciência. Não conseguiremos dominar o mundo, as vezes não conseguimos nem dominar nosssas vidas, nosso atos, em um período de tempo que existimos, quem dirá dar conta de várias atividades que buscamos cada vez mais trazer pra nossas vidas. Se tiver filho(a) terá que levar para escola, natação, judô, xadrez, inglês, balé, e num ritmo frenético está lá seu filho(a) embalado na rotina incessante, será que eles irão saber o que é infância um dia? Acredito eu que já nascemos aultos com tantas atribuições incumbidas desde de cedo a desempenhar para sermos sempre o melhor, sempre o primeiro. Após levar filhos para suas atividades, chegou a sua hora, a hora de ir trabalhar, e lá está seu chefe cobrando, pedindo, exigindo, o tictac está multiplicando e você mal começou seu trabalho, não tem mais tempo de cumprir sua atividade diária, e lá estamos nós deixando pra amanhã, ou nos sacrificando para terminar no dia exigido. Quando você finalmente chega em casa, tem a tarefa do filho pra ensinar, o jantar da sua família, e se você mora sozinha, eis que surge sempre algo quebrado, algo a terminar, nessa hora sua paciência já esgotou o limite máximo, 100% preenchido. Esse é o momento de reflertimos se esse ritmo, se essa vida tão atribulada, tão cheia de coisas vale realmente a pena, você se pergunta: Estou realmente vivendo ou cumprindo obrigações? Como diria a letra da música de Cazuza: "o tempo, o tempo não para", não para, para que você volte atrás,mas para você organizar sua vida, viver com harmonia, o tempo dá uma pausa até que você se organize e consiga viver de bem com a vida e principalmente com paciência para que seus deveres, lazer sejam encaixados perfeitamente em seu tempo, e para que não exigirmos de nós o que não podemos dá conta, administrar nossas vida é uma tarefa mais arduá do que administrar uma empresa. Tudo no seu tempo, nem relaxar demais, nem se doar demais.

A paciência é amarga, mas seu fruto é doce ! (Rousseau)

Um comentário:

ROBERTINO disse...

Parabéns pelo texto, ele reflete a sua sensibilidade e percepção. Além de demonstrar ser uma pessoa intensa!